24/02/2017

Resenha Grandes Clássicos DC Lanterna Verde e Arqueiro Verde Vol. 1, 2 e 3

Postado por Rodrigo Galhano em 24.2.17 0 comentários Links para esta postagem
Grandes Clássicos DC Lanterna Verde e Arqueiro Verde

Ouvi falar muito dessa série do Lanterna Verde como um grande marco nos quadrinhos da DC. Vale ressaltar que a maioria dessas histórias saíram originalmente na revista do Lanterna Verde no comecinho da década de 70 e o Arqueiro Verde era um "convidado especial", servindo de contraponto ao "linha dura" Hal Jordan, que sempre seguiu à risca o cumprimento da lei, preto no branco, enquanto o Arqueiro não ligava muito para as leis, seguindo uma espécie de código ético próprio "bicho-grilo", progressista, whatever, chame como quiser.

Como é explicado no texto de abertura no primeiro volume, a sociedade americana passava por profundas transformações sociais no começo da década de 70. O status quo era questionado e a sociedade passou a se preocupar mais fortemente com assuntos como guerras, repressão sexual, abuso de autoridade, drogas e políticos desonestos.

A cultura pop entrou de cabeça nessa "luta". Filmes, novelas, literatura e música. Nessa época, os quadrinhos ainda eram uma literatura (se é que podemos chamá-los assim) rasa, basicamente histórias simplistas do bem contra o mal que se resolviam com alguns sopapos e sempre com o bem vencendo, sem nenhum tipo maior de questionamento ou aprofundamento em relação as atitudes dos personagens, sejam vilões ou heróis.

Aí que entra as histórias do Lanterna Verde e Arqueiro Verde, escritas por Dennis O'Neil e magnificamente ilustrada por Neal Adams (apesar das tramas soarem datadas, a arte de Adams ficou atemporal). Eles começaram a colocar todos esses elementos nas histórias do gladiador esmeralda. Repentinamente, os personagens estavam debatendo sobre racismo, política, capitalismo, poluição, drogas, questão indígena, entre outros.

Apesar da iniciativa ser louvável e inovadora para a época, as tramas são rasas, tudo se resolve de forma muito simples e os temas, importantíssimos, são abordados de forma enviesada, notadamente puxando a sardinha para a agenda liberal da esquerda dos Estados Unidos, o que não chega a ser um problema, afinal todos têm o direito de crer no que bem entenderem, mas seria muito bom para o debate algum contraponto. Até mesmo a história do recrutamento do John Stewart, o primeiro lanterna verde negro (isso soa estranho, né?), é rasa e boba, com argumentos mal trabalhados, chega a dar vergonha alheia.

22/02/2017

3 bons canais no Youtube sobre quadrinhos e +1 bônus

Postado por Rodrigo Galhano em 22.2.17 0 comentários Links para esta postagem
Já faz tempo que os vlogs, a versão em vídeo dos blogs, vêm crescendo no Youtube. E, como não poderia deixar de ser, surgiram ótimos vloggers dedicados a resenhas, notícias e lançamentos a cerca de quadrinhos.

Confira três excelentes canais no Youtube dedicados aos quadrinhos!

Apresentado e escrito pelo gaúcho e professor de matemática, Vinicius, ele traz ótimas resenhas sobre quadrinhos de super-heróis, independentes e autorais. Também têm muitas entrevistas com pessoas do mercado editorial e, vez ou outra, conta com a participação especial de sua linda, simpática a nerd namorada.

Destaco, em especial, a maluquice que o Vinicius fez na última Comic Con Experience para conseguir um sketch de Frank Miller, vale a pena conferir!


Capitaneado pelo gente boa Fernando Bedin, conta com resenhas de HQ's de todos os tipos, indicações de action figures, muito papo de boteco, cerveja e rock and roll. Encontrei com o Fernando na Comic Con Experience e ele me tirou uma foto minha com o Simon Bisley, um dos autores e desenhistas das melhores fases do Lobo!


O P&N é, provavelmente, o maior canal no Youtube dedicado a quadrinhos, embora eles falem sobre colecionismo em geral, tendo inclusive um divertidíssimo vídeo sobre a coleção de vinis de um deles. O Pipoca tem vários programas especiais, fica até difícil escolher um, mas destaco os programas onde eles contam como conheceram Stan Lee e a maluca aventura para bater NA PORTA DO ALAN MOORE, na Inglaterra!




O canal Pipoca Musical é dedicado aos livros, mas vez ou outra fala sobre quadrinhos e fala muito bem, especialmente se for sobre Sandman, o qual o canal possui vários vídeos muito bons!


06/08/2015

Ainda vale a pena comprar jogos de videogame em lojas físicas?

Postado por Rodrigo Galhano em 6.8.15 0 comentários Links para esta postagem


Respondendo logo a pergunta do título, eu diria que a resposta é: depende.

"Como assim depende? Depende do que?".

Se você tem um computador que rode os jogos atuais ou mesmo um Xbox (One ou 360) ou um Playstation (3 ou 4), já sacou que da pra comprar jogos online direto de servidores como Xbox Live, PSN, Origin, Battlenet e Steam.

Depois de confirmada a compra basta baixar os jogos, instalá-los e começar a jogar. Mais rápido que ir numa loja comprar um DVD/Blu-ray, mais rápido que comprar em um site com entrega via Sedex e, em muitos casos, mais barato também. Isso sem contar com que sua encomenda pode ser roubada, seu jogo vir trocado ou simplesmente você não estar em casa para receber (tirando o roubo, todo o resto já aconteceu comigo).

Há outras vantagens também: não precisa gastar espaço na sua casa com a caixa e nem correr o risco de ter a mídia arranhada e o jogo perdido para sempre e, outra importantíssima, ninguém pode te pedir emprestado e esculhambar com o seu jogo, esquecer de devolver, emprestar pro primo do amigo do vizinho, etc.

Como desvantagem, você também não pode emprestar (se você é uma pessoa evoluída ou desapegada que gosta de emprestar as suas coisas) seus jogos e nem vendê-los ou trocá-los.



Mas então, quando vale a pena comprar o DVD/Blu-ray dos jogos em lojas físicas ou lojas virtuais?

Live vs PSN


Na minha experiência, vale a pena comprar a mídia física na época de lançamento do jogo, pois quase sempre as lojas físicas e virtuais tem o mesmo preço das plataformas online onde elas são vendidas (Xbox Live, PSN, Steam, etc), com a vantagem de poder parcelar o preço, opção que ainda não está disponível nessas plataformas.

Por exemplo, eu queria comprar o jogo NBA2K15 para Xbox360 um pouco depois que ele foi lançado. O preço na Live era de R$175,90, o mesmo preço da Submarino.

Comprando na Live bastaria pagar com o meu cartão de crédito, fazer o download, instalar no HD e jogar. No site, após pagar teria que esperar pelo menos uma semana até o jogo chegar na minha casa, mas pelo menos o frete era grátis.

Acabei optando em comprar no site, por que? Porque poderia parcelar em várias vezes "sem juros"*, coisa que eu não poderia fazer na Live. Como eu não estava com "bala na agulha" pra comprar à vista, valeu mais a pena comprar no site.

Fique atento aos descontos e promoções!

Steam

As plataformas tem também oferecem também grandes descontos que, ao menos eu, nunca vi em lojas nacionais, sejam físicas ou virtuais. Jogos com 25, 30, 40 e, não raramente, 50 ou 75% de desconto!

Dando exemplos reais, que aconteceram comigo, já comprei jogos de PC por R$19,90 ou menos (Age of Empires 2 HD, Final Fantasy VII, Theme Hospital), com a expansão saindo a menos de R$5 (AoEII HD). Jogo de Xbox360 (Dead Rising 2), por R$15, Fables: The Wolf Among Us por R$29,90.

Muito bom, né? Mas a desvantagem dessas plataformas é que, em algumas delas, como a PSN e a Live, você tem que pagar uma assinatura anual para poder acessá-las. Mas, além de poder comprar jogos online com descontos, você poderá jogá-los online nos servidores deles e, ao menos no caso da Live, você tem direito a baixar jogos DE GRAÇA! Eu mesmo já baixei Street Fighter IV, Gears of War III e Saints Row The Third.

Mídia física nunca mais?

Não é bem assim. É claro que tem gente que vai fazer questão de ter o jogo em casa, lá na prateleira bonitinho, pra ter a sensação de posse, pra colecionar, etc. E edições altamente colecionáveis, como essa abaixo, de Mortal Kombat X, realmente são impressionantes!

mortal kombat X collectors edition


Ou essa de Halo Reach.

Halo Reach Collectors Edition


Que tal essa de God of War Ascension?

God of War collectors Edition


E você, vai comprar o seu próximo jogo onde? Faltou alguma informação importante nesse post? Conte pra gente nos comentários.

--

*"Sem juros" entre aspas porque na verdade os juros já estão embutidos no preço do jogo. Não existe nada grátis.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Layout exclusivo para o Estante Nerd. Desenvolvido por Tarcila Lima. Veja o portfólio.